Hepatites virais matam mais de 1,4 milhão de pessoas no mundo
28/07/2021 15:29 em Região

Nesta quarta-feira, 28 de julho, é celebrado o Dia Mundial de Combate à Hepatite. A data, criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é voltada às ações de conscientização e orientação sobre as hepatites virais, a fim de preveni-las. No Brasil, foi instituído o Julho Amarelo, pela Lei 13.802, de 2019.

De acordo com o Ministério da Saúde, as hepatites virais – principalmente a B e a C –  são um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo. O impacto dessas infecções acarreta aproximadamente 1,4 milhão de mortes anualmente, seja por infecção aguda, cirrose associada às hepatites ou câncer hepático.

O termo hepatite significa inflamação no fígado e tem várias causas, por exemplo, álcool e outras drogas, alguns medicamentos, doenças autoimunes e vírus. As hepatites virais mais comuns são as do tipo A, B e C.  A do tipo A é transmitida por meio da água e alimentos contaminados ou contato com secreções; já as hepatites B e C são adquiridas via parenteral, por meio do sangue e derivados, ou por via sexual.

“A hepatite do tipo A é altamente contagiosa e pode ser transmitida, conforme mencionado, através da água e de alimentos contaminados, mas também gotículas de saliva e espirros, notadamente entre crianças em idade escolar. O período de incubação é variável, podendo ser de alguns dias na hepatite A e de meses nas hepatites B e C”, disse o hepatologista José Alves de Freitas, cooperado da Unimed Catanduva.

A doença se manifesta de formas diferentes, dependendo do vírus. “A hepatite do tipo A geralmente surge como uma gripe comum, seguida de pele e olhos amarelados e urina escura. O mesmo quadro pode ocorrer com as hepatites B e C, mas o grande problema é que, em mais da metade dos casos, não há sintomas, tornando o diagnóstico mais difícil”, esclarece Freitas.

Diante de sintomas ou se você é considerado de risco para a hepatite, a melhor opção é procurar ajuda de médico especialista nas áreas de Hepatologia ou Infectologia. O diagnóstico é feito através de exame de sangue. A prevenção ocorre por meio de cuidados higiênicos, evitando o compartilhamento de objetos e, sobretudo, pela vacina.

VACINA

A vacina contra a hepatite A é feita entre os primeiros 15 meses até os cinco anos; para a hepatite B, são disponibilizadas três doses: ao nascer, com 30 dias de vida e, por fim, aos seis meses. Não existe vacina para a hepatite C, entretanto, já existe tratamento eficaz contra esse tipo de vírus.

A Clínica de Vacinas da Unimed Catanduva disponibiliza a vacina. Entre em contato pelo telefone (17) 3531-3141 e saiba mais. A Univacin está localizada na Rua Sergipe, 583.

 

COMENTÁRIOS