Especialista da Unimed Catanduva orienta que cistite deve ser tratada rapidamente
24/07/2017 - 10h45 em Região

Cistite é uma infecção urinária que todas as mulheres podem desenvolver ao longo da vida

 

Sentir uma ardência ao urinar não é um bom sinal. Esse é um dos sintomas da cistite, infecção na parede da bexiga que pode ocorrer em qualquer idade, mas que com um tratamento adequado, pode-se evitar infecções mais graves. A ginecologista, Dra. Roseli Fátima Morandin, cooperada da Unimed Catanduva destacou que além da ardência, outro sintoma é a sensação de sempre estar com a bexiga cheia. “Mas a mulher pode urinar até sangue. Nesse caso, é preciso investigar mais a fundo.

 

De acordo com a ginecologista, a infecção pode se desenvolver por dois motivos: pela ingestão de frutas altamente ácidas, como o abacaxi, por exemplo, ou pelo fato de a pessoa tomar a quantidade de água adequada. Nesses casos, é necessário ter atenção, pois a infecção pode sair da bexiga, por meio do canal urinário e seguir para o rim, que pode agravar com febre alta e dores muito fortes, evoluindo para um quadro mais sério que poderá prolongar o tratamento.

 

Pergunta frequente nos consultórios médicos, se a cistite não é uma infecção transmissível, é negada pela Dra. Roseli. “A cistite não é uma doença sexualmente transmissível, pois se desenvolver a partir das próprias bactérias que estão na pele. A mulher está em contato maior com estas bactérias, pois as tem na região vaginal, como na vulva por exemplo, e até o corrimento pode acentuar a cistite”, disse. A especialista ainda alertou que a atividade sexual pode agravar a cistite. “Quando a mulher não está muito bem lubrificada, pode causar ‘atritos’ e deixar a pele mais sensível”, detalhou.

 

O tratamento não exige que o parceiro também use os medicamentos. A ginecologista alertou que esta intervenção só ocorre quando há outros problemas detectados, como corrimentos ou doenças causadas por fungos, pois a área vaginal é um local muito úmido e, com o uso constante de roupas apertadas, o local fica propenso a desenvolver doenças que podem ser transmitidas para o parceiro, como a candidíase, outra doença que pode agravar a cistite.

 

Dra. Roseli explicou ainda que roupas apertadas do cotidiano, como calças jeans e roupas de ginásticas, se usadas durante todo o dia, podem provocar o desenvolvimento da cistite e outras doenças. “Quando chegar em casa, busque sempre usar saia ou uma roupa mais larga e confortável. E para dormir, opte ficar sem calcinha para compensar o tempo que o local ficou abafado”, disse. No caso de mulheres que vão à praia e ficam um período mais longo com biquíni ou maiô molhado, optar sempre se trocar por uma roupa seca após sair da água, pois é outra forma de prevenção.

 

Menopausa X Cistite

 

A cistite está relacionada com a menopausa. Apesar de ser uma infecção que não tem idade, pode ser mais comum nesta fase da vida da mulher. Ainda segundo a ginecologista, o motivo para a região ser mais propensa ao desenvolvimento da infecção é o fato da pele atrofiar e ficar mais sensível, o que favorece a proliferação de bactérias.

 

O uso de hormônios tópicos (Estradiol/Estriol), com o acompanhamento médico, ajudam a evitar o desenvolvimento desta infecção “Há mulheres que também apresentam sintomas que parecem ser cistite, mas não é, e esses hormônios também ajudam bastante a aliviar esta sensação”, explicou.

 

A especialista ainda frisa que quando a infecção se torna frequente, é necessário investigar. “Outras patologias na bexiga e pedras no rim, por exemplo, podem acarretar na cistite, por isso é necessário sempre investigar. As mulheres com o ginecologista e os homens com o urologista”.

 

COMENTÁRIOS